Tirinhas…

Já que o pessoal adora, tá aí, mais tirinhas pra vocês…

 

Divirtam-se! ;D

Anúncios

Esperando…esperando..

Estou ansiosa pra ver este filme:

Dizem que o longa do herói da DC Comics será lançado no dia 30 de junho por aqui e será interpretado por Ryan Reynolds.

Mais informações aqui: http://greenlanternmovie.warnerbros.com/

🙂

Hey!

Oi Pessoas!

Realmente, faz um bom tempo que eu não venho aqui! Senti muita saudade!

Então bora la atualizar isso  e ver no que vai dar! :3

Fran.

Retomar, retomar, retomar…

Uau, eu realmente tinha pensado que esse blog tinha falecido. Digo, literalmente. Tanto tempo sem um post  sequer  (tanto que nem a senha eu não lembrava mais) e a alguns dias recebi notificações no meu e-mail sobre comentários pendentes e até fiquei assustada. Ao em vez de morto, percebo que este monstrinho estava apenas adormecido. ehuehuehe

Fico até envergonhada agora por termos sido tão desleixadas quanto a ele. Sem falar que estamos deixando vocês na mão. Mas vamos tentar pelo menos deixar ele um pouco mais atualizado. ;D

Tirinhas! ;D

Mais algumas tirinhas! (Clica que cresce)

Cortar o tempo…

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente

Carlos Drummond de Andrade

Ps.  siiim, sismei com os pensamentos do Carlos! ‘-‘

Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional…

Carlos Drummond de Andrade

Entradas Mais Antigas Anteriores Próxima Entradas mais recentes