A história de Casey Heynes…

A maioria de você já deve ter visto no Youtube o vídeo do garoto que revidou o bullying.

Bem, o nome dele é Casey Heynes, estudante australiano de 15 anos. Na entrevista que ele deu para uma emissora de TV da Austrália, ele conta que sofria bullying a 3 anos. Depois de muito sofrer com as mais diversas “brincadeiras” que sofria, ele revidou a agressão, se tornando assim um herói para milhares de pessoas que assistiram o vídeo pela web.

Confesso que fiquei emocionada com a história dele…

…e você, o que achou da atitude dele?

Cortar o tempo…

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente

Carlos Drummond de Andrade

Ps.  siiim, sismei com os pensamentos do Carlos! ‘-‘

Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional…

Carlos Drummond de Andrade

Natal!

Natal

Natal

 

“Do latim ‘natális’, derivada do verbo ‘nascor, nascéris, natus sum, nasci’, significando nascer, ser posto no mundo. Como adjetivo, significa também o local onde ocorreu o nascimento de alguém ou de alguma coisa. Como festa religiosa, o Natal, comemorado no dia 25 de dezembro desde o Século IV pela Igreja ocidental e desde o século V pela Igreja oriental, celebra o nascimento de Jesus e assim é o seu significado nas línguas românicas – italiano ‘natale’, francês ‘noël’, catalão ‘nadal’, espanhol ‘natal'( navidad de J.C), português ‘natal’.

Em inglês, a palavra que designa o Natal – ‘Christmas’ – provém das palavras latinas ‘Cristes maesse’, significando em inglês ‘Christ’s Mass”, missa de Cristo. Muitos historiadores localizam a primeira celebração em Roma, no ano 336 D.C.

De ‘natális’ deriva também ‘natureza’, o somatório das forças ativas em todo o universo.”

 

Fonte: http://pt.wikipedia.org/

A Felicidade é Independente.

Normalmente a mídia impõe o estereótipo em que a magreza é um fator importantíssimo, senão indispensável, para o sucesso social e econômico de uma pessoa, desde redes de televisão até filmes e revistas. Essa imposição de padrões feita pela mídia faz com que cada vez mais cedo crianças e adolescentes, cuja personalidade está em faze de formação, se preocupem demais com seu tipo físico, acreditando que somente sendo magros e esbeltos é que terão seu lugar de destaque na sociedade.

Porém, enquanto a maioria adota padrões de beleza quase sempre inatingíveis e tenta desesperadamente perder alguns quilinhos para entrar na tão sonhada calça 36, há quem não dê a mínima para isso. Um exemplo disso é a vocalista do The Gossip, uma banda norte-americana. Ela diz pesar 95 kg, usa roupas justas e curtas, já posou nua na capa de uma das revistas mais pop da Inglaterra e não esconde sua homossexualidade de ninguém. Eleita a artista mais estilosa de 2006 pela MNE, a bíblia do rock, Beth contraria todos os chamados padrões de beleza e já é considerada o ícone do movimento das gordinhas orgulhosas de suas fartas medidas.

Todos dizem que estamos em tempos modernos. Então, convenhamos, “cada macaco no seu galho” e “cada santo com sua crença”, mas padrões de beleza literalmente não são mais a última moda. A verdadeira beleza realmente é a interior.

Na minha opinião, uma modelo magérrima, com os ossos saltados, andando na passarela, com aquelas pernas compridas e finas que parece só ser pele e osso, igualando-se a uma garça, não é bonito. Acho melhor a sociedade rever seus conceitos de beleza, se não futuramente teremos um exercito de esqueletos desfilando pelas ruas.

Viva do seu modo, e sinta orgulho de ser você, pois a verdadeira felicidade é independente dos padrões!

(Maiara Cristina Petry)

Fome, miséria, guerrilhas pra quê?

Violado sempre é o sistema
Preconceito é o seu dilema
Feto encontrado no lixão
Bombardeios na televisão
Prostituição é só vontade
Sete anos foram só no crack
Preso revoltado na prisão
Crianças mortas no afeganistão

Nos desertos os tanques aterrorizam
Crianças pobres não conseguem sobreviver
Quantos dólares gastos em armas
Mísseis nucleares enferrujam no chão
Fome, miséria, guerrilhas pra quê?

Crianças abortadas
Mulheres violentadas
Enquanto os políticos brigam pelo poder
Morte, miséria, guerrilhas pra quê?

Mais uma bomba explode nas ruas
Corpos jogados no chão
Fome, miséria, guerrilhas pra quê?

Sparsi pensieri

*.*:..º
¸.•´ º “Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta. O amor não é chegado em fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo. Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referências. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca”.
`•.¸
¸.•) (Arnaldo Jabor)

Entradas Mais Antigas Anteriores